Google Plus NewsletterGoogle PlusTwitter Facebook

Publicado em:
24
7/2017

Palestra Cartão Material Escolar atualiza lojistas sobre o programa

Distrito Federal, Maranhão e cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais já aderiram ao sistema, que concede um crédito para o aluno comprar o próprio material.

“Atualmente, dos 40 milhões de alunos do País, dois milhões são beneficiados pelo Cartão Material Escolar, o equivalente a 5%. Queremos expandir o programa para o maior número de estados”, disse Ricardo Carrijo, diretor da ABIGRAF-SP - Associação Brasileira da Indústria Gráfica, e ABFIAE - Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório, durante palestra no Canal do Varejo.

Na apresentação, Carrijo pontuou a importância, tecnologia e as vantagens do sistema, no primeiro dia da Escolar Office Brasil, assistida por lojistas de diversas regiões do Brasil.

O Cartão Material Escolar consiste na disponibilização de crédito para alunos da rede pública para a compra exclusiva de materiais escolares em estabelecimentos previamente cadastrados. Atualmente, várias cidades do Estado de São Paulo e Minas Gerais já aderiram à tecnologia do cartão, como Capivari/SP, no interior, que está em seu terceiro ano, cidade de Agudos/SP e, mais recentemente, São Sebastião, no litoral paulista, com 15 mil alunos beneficiados.

“O trabalho das entidades é no sentido de favorecer toda a cadeia produtiva, como fabricantes, distribuidores e, especialmente, papelarias e estudantes. No Brasil, de cada 10 estudantes, oito estudam em escolas públicas. Com o cartão, vamos trazer de volta o aluno para a papelaria. Tendo acesso a esse crédito, eles poderão comprar não somente o básico, como também agregar outros materiais”, explica Carrijo.

De acordo com ele, o Cartão Material Escolar tem inúmeros benefícios, dentre eles, promove a cidadania e a autoestima dos estudantes, pois permite ao aluno escolher e comprar o seu próprio material escolar; fomenta a economia dos municípios gerando empregos; elimina os produtos de baixa qualidade comprados por licitação, além de evitar atrasos na entrega.

Brasília foi a primeira cidade a implementar o sistema, em 2014. Os três anos de experiência foram um sucesso, resultaram em 128 mil alunos beneficiados, mais de 200 papelarias cadastradas na primeira edição, mais de 300 nos anos seguintes, e geração de 600 empregos diretos (segundo pesquisa realizada pelo Fecomércio-DF).

O Estado do Maranhão também implementou o programa, que beneficiou 1,2 milhão de alunos, dos 6 aos 17 anos. Foram cadastradas no programa 850 papelarias em 2016 e 1.400 em 2017, com R$ 55 milhões investidos pelo Governo no programa. A Secretaria de Desenvolvimento do Estado do Maranhão foi responsável pela criação de aplicativo para desbloqueio e outros serviços do cartão pelo smartphone.

Outras regiões também estão se mobilizando para evoluir a ideia de implementação do Cartão Material Escolar. Entre elas, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Piauí, Minas Gerais.

Fonte: Primeira Página