Notícias


Publicado em:
3
12/2018

13º Salário: primeira parcela pode ajudar na compra do material escolar

Especialistas recomendam destinar dinheiro extra às despesas mais pesadas do início do ano.



Metatags: Material escolar, 13º salário, Matrícula, Educador financeiro, Planejamento
Francal Feiras/Divulgação

Também conhecido como o momento do ano mais aguardado pelo trabalhador, o fim do mês de novembro trouxe o depósito da primeira parcela do 13º salário e a esperança de se esticar a ponto de quitar dívidas e ainda sobrar para algumas compras.

Educadores financeiros recomendam, no entanto, que, antes de correr para atender àquele desejo consumista que rondou os planos ao longo de todo o ano, os empregados busquem se organizar para gastar com consciência.

As despesas de início de ano como o IPVA e o IPTU são excelentes destinos ao 13º, e podem ajudar a desafogar as finanças da família não só agora, mas, também, gerando reflexos positivos ao longo de todo o ano.

Outra opção recomendada pelos especialistas é aproveitar a grana extra para resolver a matrícula dos filhos no colégio, e também comprar o material escolar do próximo ano. Em entrevista ao jornal Correio da Bahia, a planejadora financeira Fernanda Prado sugere que as crianças estejam contempladas no planejamento do 13º salário.

“Quem tem filho tem gastos a mais, tem pagamento de matrícula escolar, material escolar que as pessoas costumam comprar no começo do ano”, relembra Prado. “Se não tiver esse hábito, vale a pena reservar.”

Fonte: Primeira Página, com informações de O Correio da Bahia


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

Quatro em cada dez brasileiros pretendem abrir um negócio até 2020

Na frente de países como Japão, Brasil entrou no ranking com Arábia Saudita, México, Índia, África do Sul e China.
Leia Mais