Notícias


Publicado em:
4
12/2018

Capital de giro: como utilizar de forma inteligente

Tema ainda causa dúvidas para os pequenos e médios empresários.



Metatags: Capital de giro, empreendedor, inovação, mercado
Pixabay

A Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista) preparou algumas dicas sobre capital de giro e a sua importância para a saúde financeira da empresa. Entenda o que é este recurso e quais seus usos, entre outros assuntos paralelos que ainda são incertos para alguns empresários, principalmente, os que estão no mercado há pouco tempo.

Como calcular o capital de giro que a empresa precisa?
Para calcular o valor de capital de giro necessário para a manutenção do negócio, o empresário deve saber quanto tem reservado para esse fim e quanto será preciso para cumprir todas as obrigações no prazo de pagamento. Na prática, isso significa que o valor aplicado é composto pelas contas a receber dos clientes e pelos estoques de matéria-prima, produtos acabados e mercadorias. Já para saber o total necessário para cobrir os dispêndios, devem ser considerados pagamentos para fornecedores, impostos e demais despesas fixas, como aluguel, água, luz e salários. 

Os investimentos entram no capital de giro?
Esse ainda é um erro comum entre os empreendedores. O valor reservado para capital de giro nunca pode ser usado para investimento em expansão da empresa, compra de máquinas ou projetos de inovação. Como o próprio nome diz, a função do capital de giro é fazer a empresa “girar”, ou seja, movimentar a rotina do negócio. O empreendedor que usa o capital de giro para financiar projetos corre o risco de não ter como pagar suas obrigações. 

Como proceder no caso de as contas não fecharem?
Se por alguma dificuldade a empresa não puder cumprir seus pagamentos, é possível adquirir um crédito em entidades financeiras. O empréstimo para capital de giro é uma das modalidades mais comuns no mercado, com linhas de facilidades exclusivas.

Seguindo as dicas acima e recorrendo a instituições de fomento com juros baixos em caso de necessidade, as empresas tendem a ter boas condições financeiras. De acordo com a Desenvolve São Paulo, manter o equilíbrio das contas é muito relevante para se programar para investimentos futuros em produção, compra de máquinas, contratação de funcionários e até mesmo em projetos de inovação, imprescindível para concorrer no mercado atual.

Fonte: Primeira Página, com informações da assessoria de imprensa do Desenvolve SP


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

Quatro em cada dez brasileiros pretendem abrir um negócio até 2020

Na frente de países como Japão, Brasil entrou no ranking com Arábia Saudita, México, Índia, África do Sul e China.
Leia Mais