Inspirações

5 cuidados para segurança das crianças na internet

Especialista fala sobre a melhor maneira de orientar os pequenos no uso da tecnologia

 

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Comitê Gestor de Internet no Brasil, 75% das crianças e adolescentes acessam a internet pelo menos uma vez ao dia, enquanto 93% utilizam o celular para isso.

Pensando nos perigos que estar online pode trazer caso não seja uma atividade responsável e bem orientada, especialistas em detecção proativa de ameaças elaboraram algumas dicas para proteger as crianças enquanto elas se divertem e aprender na internet.

  • Fale com seus filhos

O diálogo é a base de tudo. Conversar sobre o porquê é preciso proteger as informações pessoais é fundamental. Além disso, também é importante ensinar sobre quais ameaças os cercam, ajudando-os a identificar situações perigosas, explicam os especialistas da ESET, empresa de detecção proativa de ameaças.

  • Mantenha controle sobre softwares instalados nos dispositivos

Uma breve pesquisa sobre qualquer aplicativo traz informações esclarecedoras sobre qual público deve utilizá-lo. Manter um controle periódico sobre quais softwares estão instalados no computador ou smartphone permite saber a qual nível de exposição de informações as crianças estão sujeitas.

  • Ensine-os a proteger suas senhas

Redes sociais, aplicativos de serviços online e desbloqueio de smartphone devem ter uma senha. Esta senha precisa atender a requisitos aceitáveis de segurança, como ser única, complexa e extensa. Evite sequências numéricas simples, como 123456 ou nomes de times de futebol, animais de estimação e datas de aniversário. Esta dica vale para crianças, adolescentes e adultos.

  • Configure política de privacidade em todas as redes sociais e softwares

As configurações de privacidade variam bastante de uma rede social para outra, ou de um software para outro, mas em geral visam inibir o acesso livre as informações do usuário. Um exemplo simples de política de privacidade é poder colocar as publicações no modo privado. Ao fazer isso, explicam os profissionais da ESET, apenas seus amigos terão acesso. É válido revisar periodicamente toda e qualquer configuração dos principais apps de redes sociais ou mensagens instantâneas.

  • Jogos on-line

A abordagem de pessoas mal-intencionadas a crianças e adolescentes normalmente acontece no meio em que crianças e adolescentes estão, sejam os jogos, as redes sociais mais populares do momento ou aplicativos.

Instruí-los para tomar cuidado com as informações compartilhadas nesses meios e sobre quão sútil pode ser a abordagem dos criminosos fará com que eles tenham cada vez mais consciência de que as ameaças podem vir de qualquer lugar.

 

Leia também: 5 formas de criar uma cultura de marca focada no cliente

 

Leia também: Especialistas garantem: educação financeira começa na escola

 

 

Fonte: Primeira Página

 

 

Redes Sociais