Feira

O futuro da papelaria começa agora

Paulo Freire, da Livraria MEC, encerrou o primeiro dia do Fórum da Papelaria fazendo um Raio-X do mercado atual e apontando soluções.

 

Pouca capacitação dos gestores, pequenas lojas com perfil familiar, muita informalidade, pouco investimento em infraestrutura, mix de produtos reduzido...

Este é o diagnóstico feito por Paulo Freire, da Livraria MEC, de Pernambuco, em sua apresentação no Fórum de Papelaria da Escolar Office Brasil 2019.

É um modelo que se manteve por muitos anos, mas que hoje está levando um grande número de papelarias a fecharem as portas. A saída: atualização! “Papelaria que não se atualizar não dura mais três anos”, decreta Paulo.

Mais que apresentar problemas, Paulo – cuja rede de papelarias é considerada referência no cenário nacional – apontou saídas. Confira as dicas;

  • Reservar parte do capital para investir regularmente na infraestrutura
  • Arrumar os produtos por categorias
  • Tirar proveito das “modas”, como pintura de mandalas, slime, personagens
  • Ampliar o mix com itens de papelaria diferenciados, que outros pontos de venda (supermercados, por exemplo) não vendem
  • Trabalhar com fornecedores que agregam valores: “O relatório mais importante do meu sistema é o ranking de fornecedor por rentabilidade”, ensina Paulo
  • Estabelecer parcerias com influenciadores da sua região
  • Aproveitar as sazonalidades e datas comemorativas
  • Familiarizar-se com as redes sociais e e-commerce
  • Engajar a equipe premiando o desempenho

Paulo reforçou a necessidade de estar presente no mundo online, e destacou que se trata de uma mídia barata (quando não gratuita) que dá grande retorno.

A grande lição que ele deixou ao final é: “Onde você se imagina daqui a cinco anos?”.

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais