Mercado

“É por meio das brincadeiras que a criança estabelece contato com o mundo físico e social”, diz educadora

“É por meio das brincadeiras que a criança estabelece contato com o mundo físico e social”, diz educadora

Professora da Educação Infantil fala sobre a importância do brincar e do papel do adulto neste processo.

 

Qual criança não gosta de brincar? Pois os especialistas explicam que o que parece apenas diversão é, na verdade, a base para todo desenvolvimento infantil. É nesses momentos lúdicos que os pequenos, ao explorarem o mundo, tornam-se grandes investigadores, alcançando níveis superiores de pensamento.

 

Pela brincadeira a criança se expressa e forma sentidos sobre o mundo, além de atuar simbolicamente nas diferentes situações, elaborando conhecimentos, significados e sentimentos.

 

“Quando as crianças brincam, assumem diferentes papéis e criam mecanismos para agir diante da realidade, substituindo ações cotidianas pelas cumpridas pelo papel assumido. É por meio das brincadeiras que a criança estabelece contato com o mundo físico e social”, afirma Ana Paula Alberto Lopes, professora regente na Educação Infantil do Colégio Marista Champagnat, de Ribeirão Preto (SP).

 

E o brincar é nada mais do que isso: explorar, conhecer um objeto a fundo, sua funcionalidade, e, assim, criar e recriar novas possibilidades, potencializando a aprendizagem.

 

Neste processo, o papel do adulto é fundamental para a construção do simbólico no pensamento infantil. Ademais, é importante construir vínculos, afeto, criar memórias que ecoam no imaginário das crianças, possibilitando um desenvolvimento sadio e integral.

 

O educador, ao assumir esse papel de mediador das relações, faz com que a criança pequena perceba a essência do pensamento do outro, possibilitando uma melhor socialização e organização do próprio pensamento. “Aqui lembramos o papel filosófico do ato de educar. A criança ao manipular, explorar, vivenciar, investiga tudo que está a sua volta, e assim seu pensamento vai se constituindo”, ressalta Ana Paula.

 

Existem três etapas fundamentais da brincadeira de acordo com o desenvolvimento da criança: de 0 a 2 anos de idade, quando a criança está adquirindo suas competências motoras e desenvolvendo autonomia; de 2 a 7 anos de idade, quando a criança já é capaz de produzir imagens mentais e, com a fala, substitui objetos por símbolos; a partir de 7 anos de idade, quando a criança passa a ter um entendimento melhor sobre seguir regras.

 

É importante que, nas brincadeiras e jogos, a criança desenvolva estratégias para tomar decisões. Assim, ela interage socialmente, descobrindo que não é o único indivíduo envolvido nas ações, ampliando a empatia e a capacidade de entender os objetivos de outras pessoas. 

 

“O ato de brincar, de experimentar, sentir, explorar, investigar na educação infantil é fundamental, criando assim a base para o pensamento filosófico e investigativo, sustentado pelo vínculo e afeto, tão essenciais para o desenvolvimento infantil sadio”, ressalta Ana Paula.

 

Fonte: Primeira Página.

Redes Sociais